ÁFRICA DO SUL

Lindiwe Mthembu-Salter

Povos, Nações e Territórios
Facilitadora de Constelações Familiares Sistémicas, Aconselhamento Humanístico e Integrativo, Instrutora de Técnicas de Autocuidado

Palestras

[Dia 1]
09:00 am - 10:30 am
Theme: Abertura do Congresso - Povos, Nações e Territórios
[Dia 1]
14.30 am - 16.30 pm
Theme: Povos, Nações e Territórios (Sala 4)
[Dia 2]
15.30 pm - 16.30 pm
Theme: Povos, Nações e Territórios (Auditório)

BIOGRAFIA

Facilitadora de constelações sistémicas e familiares, Diploma em Aconselhamento Humanístico e Integrativo (Bacharel UK), Instrutora (capacita) de educação multicultural e de bem-estar em técnicas de autocuidado na Phuzumoya Consulting (phuzumoya significa ‘beber ou abraçar o vento / espírito em Zulu ), Bacharel em Artes – Antropologia (UWC, África do Sul).

PALESTRA

Introdução

Umsamo: atendendo à nossa terra ancestral

Tanja Meyburgh e Lindiwe Mthembu- Salter

Na tradição Zulu Sul Africana, Umsamo é o lugar na herdade que é o santuário dos ancestrais  na casa. Este lugar não contém apenas as lembranças e símbolos ancestrais, mas também os espíritos da linhagem ancestral que fazem parte da vida diária. Em tempos de doença ou calamidade, é pedido a um que cuide de Umsamo que é tanto o ato de visitar este lugar, como de cuidar da relação pessoal de um com os ancestrais através de pahla, cerimónia ou ritual.

Como facilitadores, quando entramos nos campos de dinâmica vítima e perpetrador, temos de cuidar do nosso próprio Umsamo, para que o que possa estar escondido nos nossos campos ancestrais, não apareça do inconsciente para sabotar o trabalho de reconciliação que estamos a tentar alcançar. Neste processo de auto-cuidado e auto-desenvolvimento de cuidar de Umsamo, também encontramos os nossos recursos, forças e resiliência para fazer face à cura que é necessária para as pessoas, territórios e nações.

Lindiwe vai partilhar as suas experiências como Zulu e mulher negra numa África do Sul pós-colonial e apartheid, focando o seu olhar no conceito de compreensão de opressão internalizada. Sabemos que todo o abuso, se não libertado ou curado, poderia criar um padrão de rigidez, sentimentos destrutivos ou ineficazes ou comportamentos de vítima de maus tratos ou racismo. O racismo é uma forma de opressão que tem sido sistematicamente iniciado, encorajado e fortemente aplicado pela cultura maioritária e as suas instituições. Tanja irá falar acerca das suas experiências de pioneira no trabalho de constelações na África do Sul, e o cuidar do Umsamo pessoal dos seus ancestrais perpetradores enquanto segue o chamado para ser a ponte da divisão entre pessoas e tradições Africanas e Ocidentais.

Juntas, Tanja e Lindiwe, irão partilhar como cuidar do nosso Umsamo de formas que honrem as pessoas, territórios e nações de onde vêm, e onde vivem agora.

WORKSHOP

Juntas Tanja e Lindiwe vão liderar um workshop experimental de constelações integradas e um ritual cultural Zulu com a intenção de reconciliação e cura do nosso Umsamo individual e coletivo relacionado com o racismo, escravidão e opressão. Todos são convidados a juntar-se.